O Código Da Vinci | Dan Brown

 o codigo da vinciRecuo um pouco no tempo para falar de «O Código Da Vinci» (Li este livro, durante o ano de 2004) apenas alguns meses após o seu lançamento e de nessa altura varias vozes se terem levantado contra o dito livro e o seu escritor (um desconhecido na altura, quer em Portugal, quer nos Estados Unidos) onde os seus livros, eram vendidos mas sem grande alarido, antes da publicação do best-seller, já Brown havia publicado «The Deception Point» chamado entre nós de  «A Conspiração» seguiram-se Fortaleza Digital e depois o primeiro êxito «Anjos e Demónios».

Mas foi mesmo com o Código da Vinci que Brown se tornou de um momento para o outro no mais badalado escritor do momento. Brown repetiu a receita de Anjos e Demónios, repescando o seu Alter-Ego Robert Lagdon, destinando-lhe uma nova missão. no fundo estamos a falar de um livro que mistura vários géneros: Do thriller ao policial, do mistério ao romance (histórico)?
Sem dúvida que Brown granjeou e muito de uma publicidade gratuita principalmente vinda dos Cristãos mais fervorosos, que aconselhavam os seus pares a não comprarem ou lerem o livro.
Ora o fruto proibido é sempre o mais apetecido é claro que o livro vendeu.
Afinal o que está por detrás de  O Código Da Vinci? Polémicas? Verdades? Mitos? Ou apenas uma receita de sucesso, que viria a ser adoptada por outros autores?
Este livro repleto de teorias da conspiração, não é mais do que um policial que se esconde por atrás destas teorias. Brown soube mexer como ninguém com as consciências. muito se supôs se de facto no quadro que representava a ultima ceia de Cristo, estaria presente Maria Madalena? (é claro que não)!
Teria de facto Jesus Cristo casado com Maria Madalena e dessa união resultarem descendentes? (Pura ficção e criação artística do autor)! – Certo ou errado? – Certo! (Ficção da mais pura! Bem trabalhada, genialmente bem trabalhada).
Outro dos pontos que tocou fundo foi o facto de determinados rituais praticados pela Opus Dei, poderem ser realizados actualmente? a Opus Dei jura que não.
A Igreja (Católica) e vários grupos de historiadores, dizem que Brown distorceu e inclusivamente forjou os factos, o escritor garante que não; inclusive garante que quer o priorado do Sião (uma sociedade secreta europeia existe desde 1099), quer a Opus Dei (uma prelatura do Vaticano tremendamente devota) agem conforme as descrições do livro, algo que é alvo de controvérsias constantes, ambas são acusadas de practicarem lavagens cerebrais aos seus membros. quem tem razão? (para mim tanto me faz) O certo é que Dan Brown teve o condão de tirar o fôlego aos seus leitores, através de capítulos muito curtos e sempre cheios de acção que terminam quase sempre com uma enorme carga de suspense, levando o leitor a ansiar por mais, desenvolvendo quase sempre duas tramas paralelas que acabam por se juntar e fazer posteriormente sentido (algo que não é nenhuma novidade neste género de livros).

Na minha opinião este não é claramente o melhor livro de Brown. Recomendo apenas a quem gosta de história leve, rápida e com  mistério policial e suspense em demasia. É  um livro que se lê rapidamente, com algum agrado. (nada de transcendente).

Sinopse:

Robert Langdon, conceituado simbologista, está em Paris para fazer uma palestra quando recebe uma notícia inesperada: o velho curador do Louvre foi encontrado morto no museu, e um código indecifrável encontrado junto do cadáver. Na tentativa de decifrar o estranho código, Langdon e uma dotada criptologista francesa, Sophie Neveu, descobrem, estupefactos, uma série de pistas inscritas nas obras de Leonardo da Vinci, que o pintor engenhosamente disfarçou. Tudo se complica quando Langdon descobre uma surpreendente ligação: o falecido curador estava envolvido com o Priorado de Sião, uma sociedade secreta a que tinham pertencido Sir Isaac Newton, Botticelli, Victor Hugo e Da Vinci, entre outros.

Literatura vs Cinema:
O CODIGODAVINCIA adaptação de O Código Da Vinci, chegou aos cinemas em Maio de 2006, pela mão de Ron Howard. (Apollo 13 – Uma Mente Brilhante). O guião escrito por Akiva Goldsman  Foi produzido por Howard juntamente com John Calley e Brian Grazer.

Os direitos cinematográficos do filme foram comprados por 6 milhões de dólares.

O Museu do Louvre autorizou a utilização de suas instalações para as filmagens, enquanto a Abadia de Westminster negou o acesso.

O filme foi um êxito de bilheteira a que se seguiu a sequela “Anjos e Demónios” em 2009 e prevê-se uma nova aventura de Robert Lagdom em 2015 com “Inferno

Tom Hanks (Big – Filadélfia – Forrest Gump) encarna o Professor Lagdom o elenco conta ainda com  Audrey Tautou, Jean Reno, Ian McKellen, Alfred Molina e Paul Bettany.

Anúncios

2 comments

  1. Parabéns pela sua opinião, estou plenamente de acordo.
    Gostei do livro. Acho que Dan Brown é um mestre no estilo de escrita que faz, mas confesso que o estilo – o romance policial – não é o meu preferido.
    Pessoalmente gostei muito mais do livro do que do filme.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s