Dia: 19/01/2010

Anjos e Demónios – Dan Brown

Sinopse: Quando um famoso cientista do CERN é encontrado brutalmente assassinado, o professor de simbologia Robert Langdon é chamado para identificar o estranho símbolo gravado no peito do cientista. A sua conclusão é avassaladora: a marca é de uma antiga Irmandade chamada Iluminatti, supostamente extinta há séculos e inimiga da Igreja Católica. Em Roma, o Colégio dos Cardeais está reunido para eleger um novo Papa quando se apercebe do rapto de quatro cardeais, ao mesmo tempo que a Guarda Suíça é informada de que uma perigosa arma está na Cidade do Vaticano com o propósito de a destruir. Robert Langdon – quem não o conhece? – ajudado desta vez por Victoria Vetra, cientista do CERN, procura desesperadamente a antimatéria no meio das intricadas pistas deixadas pelos Iluminati, lutando contra o tempo para salvar o Vaticano.

Anjos e Demónios, o livro de Dan Brown que mais gostei até agora, com um ritmo proprio de um grande filme de Hollyood é o primeiro livro onde passamos a conhecer o Professor Lagdon, que transita posteriormente para O Código Da Vinci e depois para O Simbolo Perdido. A cidade do Vaticano é o pano de fundo desta história,passando primeiro pelo CERN na Suiça onde nos é contada uma história sobre a «Anti-Matéria» muito se tem falado nisto nos últimos tempos (afinal não era ficção)  Brown transporta-nos ainda pelas ruas, monumentos e pelas grandes figuras da cidade de Roma.  embora este livro tenha sido publicado em Portugal depois de O Código da Vinci esta foi de facto a primeira aventura de Lagdon que se ve a braços com a descodificação de vários simbolos religiosos que o levarão à verdade. Lagdon inicia assim uma verdadeira corrida contra o tempo, para descobrir onde estão os cardeais raptados por uma seita chamada «Illuminatti» ao mesmo tempo que se  inicia o conclave para a escolha do novo Papa. Com Anjos e Demónios, senti-me transportado para dentro do livro, lado a lado com os seus personagens, vivendo esta aventura. É bem dificil descobrir onde começa a realidade que se mistura com a ficção. A igreja católica vê-se uma vez mais retratada, nem sempre com simpatia pelo texto de Brown. é um veradeiro filme, com perseguições, crime, muita acção… e aquela cena da explosão do helicóptero é de facto hollyoodesca fechamos os olhos e vemos o filme. recomendo este livro, ideal para durante as férias, de se ler uma e talvez outra vez (daqui a algum tempo)