Eragon – Christopher Paolini

Quando Eragon encontra uma pedra azul polida na floresta, acredita que poderá ser uma descoberta bendita para um simples rapaz do campo: talvez sirva para comprar carne para manter a família durante o Inverno. Mas quando descobre que a pedra transporta uma cria de dragão, Eragon depressa se apercebe de que está perante um legado tão antigo como o próprio Império. De um dia para o outro, a sua vida muda radicalmente, e ele é atirado para um perigoso mundo novo de destino, de magia e de poder. Empunhando apenas uma espada legendária e levando os conselhos dum velho contador de histórias como guia, Eragon e o jovem dragão terão de se aventurar por terras perigosas e enfrentar inimigos obscuros, dum Império governado por um rei cuja maldade não conhece fronteiras. Conseguirá Eragon alcançar a glória dos lendários heróis da Ordem dos Cavaleiros do Dragão? O destino do Império pode estar nas suas mãos…

Plano Nacional de Leitura Livro recomendado para o 6º ano de escolaridade, destinado a leitura autónoma e leitura com apoio do professor ou dos pais.

OPINIÃO:

Corria o ano de 2003 quando iniciei a saga da Herança (na altura trilogia) de um jovem desconhecido de quem se diziam maravilhas como por exemplo: “Paolini é o novo Tolkien”.

Após ter feito a leitura do primeiro livro da série (Eragon) confesso que foi impossível não fazer comparações com Tolkien, pelo menos no que diz respeito a um admirável mundo novo criado por este jovem que na altura contva apenas 15 anos. (nessa altura por cá, ainda não se ouvia falar em George R.R. Martin)

Embora a  estória nada tenha a ver com a mais célebre das histórias de Tolkien (O Senhor dos Aneis) é impossível não reparar numa “quase” colagem entre as duas obras mas ao mesmo tempo verificamos que o jovem Paolini tenta a todo o custo desligar-se da narrativa do “pai” da fantasia épica.

Assim temos Alagaesia um vasto reino repleto de criaturas “especiais”  num tempo onde a magia ainda era rainha. O resumo é bastante simples:

Em tempos existiam os cavaleiros do dragão que durante centenas de anos tudo fizeram para  que o reino e os povos vivessem em paz, mas a determinada altura um deles decidiu que poderia controlar todo o reino e todas as raças, urdiu então um maléfico plano e convenceu outros 13 cavaleiros a juntarem-se a si, passariam a ser conhecidos como os Renegados, todos os os outros cavaleiros e seus dragões foram mortos e Galbatorix tornou-se assim rei e senhor de Alagaesia.

Cem anos depois, Arya a princesa dos Elfos é capturada pelos homens do rei quando tenta fugir com um dos 3 ovos de dragão ainda existentes. Através de um poderoso feitiço o ovo é projectado para a “Espinha” onde em “Carvahall” vive o jovem Eragon que sem saber o que fazer com o estranho e belo objecto decide levá-lo para casa e escondê-lo, até ao dia em que o belo ovo decide “chocar” e Eragon descobre então a maravilhosa criatura a quem chama Saphira.

Resumindo…após a sua aldeia ser invadida por homens do Rei que tentam a todo o custo recuperar o ovo de dragão, Eragon Saphira e Brom um estranho homem que vem em auxilio do jovem e que que se revela desde cedo ser um homem com muito para esconder e para contar.

Elfos, Espectros, Humanos, Homens-gato, Bruxas e tantas outras criaturas fantásticas como os Raza’c e os Urgall fazem parte desta narrativa fantástica criada por este jovem escritor cheio de imaginação e talento que terá certamente uma palavra a dizer no género daqui a uns anos. No entanto Eragon mostra fragilidades no seu texto, que poderiam ser facilmente contornadas se o seu autor tivesse um pouco mais de maturidade. (mesmo assim é de se tirar o chapéu a este jovem pela coragem de levar a bom porto uma obra com esta envergadura).

Eragon tornou-se um exito de vendas e é inclusivamente transportado para o grande ecrã em 2006 numa adaptação que muito deixa a desejar, repleta de efeitos especiais e com um elenco de luxo que inclui Jeremy Irons como Brom e Jonh Malkovich como Galbatorix o filme não faz juz ao livro e torna-se um verdadeiro fiasco caindo rapidamente no esquecimento e sem projectos para uma continuação.

Em suma Eragon marca o início de uma nova era na literatura fantástica que vale bem  a pena ser lida, a fórmula é a mesma de qualquer outro livro do seu género: a eterna luta entre o bem e o mal e em tempos onde o dia a dia de todos nós é tão negro como o rei Galbatorix este livro pode muito bem ser um refúgio para quem precise de sonhar um pouco e desligar-se da realidade. (Só até fechar as páginas do livro) 😀

CLASSIFICAÇÃO:

13 / 20

Anúncios

5 thoughts on “Eragon – Christopher Paolini

  1. Bem, vou aproveitar um bocadinho de tempo que tenho para deixar aqui uma rápida opinião.

    Em primeiro lugar, o filme é mau. Não há volta a dar nem outra forma de o dizer. É sinceramente, das piores adaptações que alguma vez vi.

    Em relação ao livro, as expectativas eram muitas quando comecei a ler a saga mas infelizmente houve duas coisas que não gostei (cuidado que agora vou fazer spoilers!!!):

    em primeiro lugar custa-me ver que alguns livros podiam ser muito mais se não tivessem um mundo igual ao senhor dos anéis. Elfos perfeitos nas florestas, cheios de capacidade mágica, puros, etc… os anões vivem nas grutas das montanhas, criam excelentes armaduras, bebem muito, etc…

    em segundo lugar a historia parece um star wars medieval. rapaz orfão, familia que o acolhe morre no inicio, aparece alguem que o treina, e afinal é super poderoso (ah que saudade do Obi-Wan) e por ai fora. existem mais parecenças!

    tirando estes dois aspectos que me chatearam, o livro é agradável de se ler. não é uma obra prima, e tal como tu, teria de lhe dar uma nota perto do 10 em 20. claro que isto é o meu caso, que já li muita fantasia e já quase que adivinho o mundo onde se vão desenrolar os livros (Terra Média) e depois sou um fã de Star Wars. Quem não esteja neste grupo poderá retirar uma excelente leitura destas páginas, penso eu. Também li o 2º e 3º livro. notei uma maturidade crescente, mas também notei uma incapacidade do autor em encurtar o livro. Por vezes parecia que o autor estava ali a mastigar as centenas de palavras quando podia escrever tudo numa décima parte.
    Mas tamém já ouvi dizer que o final é bom, e como tal acabarei esta saga um dia.

    Em relação ao teu texto, já sabes a minha opinião, estás sempre bem!

    Abraço Nuno! Vou ficar atento às tuas opiniões sobre o resto da saga!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s