O Toque de Midas – Colleen McCullough

É difícil não começar esta opinião sem dizer “que livro fenomenal” e assim é de facto. Uma constante nos livros de Colleen MCcullogh… A força que esta autora empresta aos seus personagens creio ser a chave do sucesso. (O mesmo já tinha acontecido com Tim e Pássaros Feridos) Personagens tão fortes e tão reais, que quando fechamos o livro, sentimos uma saudade e uma pena de não podermos continuar com eles.

O Toque de Midas é um livro maravilhoso que prende pelos temas pertinentes que aborda e foi tremendamente bem construído.

A acção começa na Escócia no ano de 1872 no seio de uma família demasiadamente conservadora, num tempo onde as mulheres não tinham oportunidades nem escolha, Elizabeth recebe a notícia que o seu primo Alexander Kinross deseja que esta se lhe junte na Austrália para casarem. Sem nada conhecer para além da sua terra natal, Elizabeth vive debaixo da alçada de um pai tirano e egoísta e debaixo de severas regras comportamentais ditadas por um velho fanático religioso, que anos antes expulsara Alexander de Kinross. Nesta fase a autora aborda sobretudo a hipócrisia (que felizmente hoje em dia está bastante mais diluída) da religião e dos fanáticos da bíblia para quem todos os actos são proibidos e pecaminosos, todos pagarão pelos seus pecados com o fogo do inferno, a hipocrisia de quem dita (ditava) as regras como se fosse dono da verdade e da razão. Revoltante os actos e atitudes que se tomam em nome de um Deus castigador que não permite (às mulheres) qualquer espécie de prazer.

No entanto Alexander vinga na vida, transformando-se num cavalheiro educado e muito culto e sobretudo muito rico, decide casar com a sua prima Elizabeth com o intuito de se vingar de quem no passado lhe desejou e lhe fez tanto mal. Seguindo os passos de Alexandre o Grande, Kinross torna-se num homem demasiadamente poderoso.

MCcullogh relembra assim as famosas corridas ao ouro, numa altura em que todos sonhavam encontrá-lo e tornarem-se ricos.

Elizabeth chega assim ao continente Australiano, uma jovem de dezasseis anos,  conformada com o destino e com o facto de ter sido vendida por um pai que lhe diz que o sexo é algo de muito pervertido e que uma mulher não pode ter prazer sexual, pois isso está apenas destinado aos homens, nas mulheres é um verdadeiro pecado mortal.
Infelizmente, Alexander assusta a sua futura mulher e causa-lhe uma enorme repulsa. Elizabeth prepara-se assim para passar a vida inteira exilada, submissa e quase prisioneira ao lado de um homem que não conhece e não ama.

É nesta altura que trava conhecimento com Ruby, a amante de longa data do marido e quer o destino que se tornem nas melhores amigas.

Uma história que atravessa os últimos trinta anos do século XIX e termina já depois da viragem do século XX. Um livro que aborda sobretudo o papel submisso das mulheres que não conseguem vingar num mundo de homens… aliás certos cursos estavam simplesmente vedados às mulheres, como por exemplo medicina ou engenharia. São abordados temas como o da dificuldade que uma mulher tinha para dar á luz, pois cesarianas naquela altura, não se faziam e os poucos casos conhecidos eram morte certa para o bebé e para a mãe.

Assistimos também ao nascimento do socialismo de Karl Marx na Europa que (mais tarde daria o resultado que hoje todos nós conhecemos). O Socialismo chega posteriormente ao continente Australiano gerando assim as primeiras greves e reivindicações sobretudo por parte dos mineiros.

Temas como a revolução industrial, exploração humana, racismo, e o desconhecimento médico, estão presentes nesta história fantástica e com personagens inesquecíveis.

Quem leu este livro sabe o que se segue daqui para a frente… quem não leu que corra a fazê-lo, pois eu apenas o fiz agora ao fim de tantos anos de ter sido publicado. Entendo agora as reacções de todos quantos o leram… Todos eles sofreram o toque de Midas.

Uma leitura obrigatória e imprescindível.

Sinopse: No centro do romance está Alexander Kinross, lembrado na sua Escócia natal como um pobre jovem aprendiz de caldeireiro. Mas quando, anos mais tarde, escreve da Austrália a avisar que a noiva pode ir ter com ele, os seus parentes rapidamente se apercebem que fez fortuna com o ouro.
Chegada a Sidney depois de uma difícil viagem, Elizabeth Drummond, de 16 anos, encontra-se com o seu futuro marido e descobre, para sua infelicidade, que ele a assusta e repugna. Sem outra hipótese, casa com ele e fica relegada numa quinta algures no imenso campo australiano. Nem sequer faz ideia que ele mantém uma amante, a sensual e extrovertida Ruby Costevan.
Cativado pelas diferentes personalidades da esposa e da amante, Alexander decide manter ambas as mulheres. Elizabeth dá-lhe duas filhas. Movido pelo desejo de ter um varão, Alexander vira-se para o filho de Ruby, como possível herdeiro do seu império.
Desde “Pássaros Feridos” que Colleen McCullough não escrevia um romance tão atraente acerca de uma família e sobre a experiência Australiana como agora com “O Toque de Midas”.

Anúncios

4 thoughts on “O Toque de Midas – Colleen McCullough

  1. O que dizer da minha Colleen? Adoro a maneira como ela apresenta as personagens. Elas podem cometer erros mas estamos tão vidrados que nelas que ainda gostamos mais delas. Nuno, não sei se já leste mas A Canção de Tróia é outro livro magnífico.

  2. Li “Tim” e “Pássaros Feridos” já há muitos anos, bem como “As Damas de Missalonghi”, e gosto muito dela como escritora. Este ainda não li! Perdi-lhe um bocado o rasto com os calhamaços sequenciais de Roma… 🙂

    Continuação de boas leituras!

    1. Se conseguires arranjar este livro Teté… compra pois vale bem a pena… é maravilhoso.
      Boas Leituras e bom fim de semana

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s