TAG – Palavras Cruzadas

tagA blogosfera tem coisas bastante engraçadas e originais que valem a pena ser partilhadas. Não sou muito de participar ou responder a Tag’s, mas há uma outra que prendem a minha atenção (por qualquer motivo)
Estava eu a visitar a minha querida Patrícia Cavaco (Ler por aí) e descobri esta esta espécie de questionário… Dei por mim a responder ás perguntas.
Partilho também os link original, cujo o video já vi e achei muito piada, pois junta três amigos que dão as suas respostas de forma bastante divertida e agradável , convido-os a dar um salto ao You Tube ao canal da InesBooks. Confesso que não seria capaz de fazer um video (que actualmente está muito em voga, não tenho coragem para isso.
Entretanto partilho também o link para o Video da Catarina do (Little house of books) de quem tenho visto outras sugestões, e está muito engraçado.
Vamos lá ás perguntas e respostas…

*  *  *

ULTIMO ACTO EM LISBOA1) Vox Populi (um livro para recomendar a toda a gente)

Bem aqui, vou mesmo “plagiar” a resposta da Patrícia, recomendando “Último acto em Lisboa” é um livro excepcional, escrito por Robert Wilson, e para gosta do género, não se vai arrepender.
Ofereceram-me este livro, quando fiz 26 ou 27 anos, e guardo-o até hoje com muito carinho, por ter sido um livro, que adorei.
Recomendo-o sem quaisquer reservas.
E aproveitem a embalagem e leiam também “A Companhia de Estranhos” do mesmo autor. Imperdíveis.

*

A Sombra do vento2) Maldito plágio (um livro que gostávamos de ter escrito)

Aqui… existem tantos livros, que quando os li, pensei: “porque raio não fui eu a escrever isto?
Gostaria de ter escrito “A Sombra do vento” de Carlos Ruíz Zafón, um livro mágico, cheio de mistérios e aventuras, uma homenagem aos livros e aos leitores.
Não me importava de ter também escrito “Os Pilares daTerra” de Ken Follet, que agarra o leitora da primeira à última página.
Ou mesmo “Último acto em Lisboa” o livro que recomendei na pergunta anterior. 

*

a trama da estrela3) Não vale a pena abater árvores por causa disto

Hum… tantos tantos…
Nesta 3ª pergunta a minha escolha recai sobre a “A Trama da Estrela” de Vasco Ricardo. fraquinho fraquinho.
E aquela coisa chamada “Crónicas de Alayria” ou lá como se pronuncia, mas que merdas de nomes, nunca passei das primeiras 5 páginas. puff

*

4) Não és tu, sou eu (um livro bom lido na altura errada)o assassino cego

Bem… aqui não sei bem se é ele ou se sou eu… “O Assassino Cego” de Margaret Attwood.
Creio que fui com demasiada sede ao pote, e por qualquer motivo a leitura encalhou, É o que dá terminar um ou dois livros de que se gostou muito, e depois pegar num género diferente, com expectativas demasiadamente elevadas.

*

O Monte dos_Vendavais5) Eu tentei… (um livro que tentámos ler mas não conseguimos)

Juro que tentei…. “O Monte dos vendavais de Emily Brontë.
Toda a gente gostou menos eu, será possível? Os livros têm destas coisas. Nunca o terminei, mas jurei a mim mesmo que um dia lhe daria outra oportunidade.

*

O último cabalista de Lisboa6) Hã? (um livro que lemos e não percebemos nada ou um livro que teve um final surpreendente)

– Li, li e parei, já não sabia quem era quem, nem onde estava… nem sequer o que estava a ler (talvez um dia) claro que me refiro a “O Último Cabalista de Lisboa” de Richard Zimler
–  Um final surpreendente, ou que me tenha surpreendido? hum… vários… Destaco “Messias” de Boris Staling e “Equador” de Miguel Sousa Tavares

*

os-homens-que-odeiam-as-mulheres7) É tão bom, não foi? (um livro que devorámos)

Foram tantos…. desta categoria, destaco:
“A Sombra do vento” de Carlos Ruiz Zafón,
“As Brumas de Avalon” de Marion Zimmer Bradley,
“Trilogia Millennium” de Stieg Larson

*

a origem do mal8) Entre livros e tachos (uma personagem que gostaríamos que cozinhasse para nós)

Hannibal Lectar… definitivamente…
Tou a brincar, não faço a mínima ideia, assim de repente, não me ocorre ninguém que me pudesse proporcionar um bela refeição

*

a verdade sobre o caso harry quebert

9) Fast Forward (um livro que podia ter menos páginas que não se perdia nada)

Assim de repente…. Só me ocorre o grande boom do ano passado: “A Verdade sobre o caso Harry Quebert” de Joel Dicker

*

10) Às cegas (um livro que escolheríamos só por causa do título)

Nem ás cegas, nem ás claras… não escolheria nenhum livro, apenas por causa do título

*

triangulo11) O que conta é o interior (um livro bom com uma capa feia)

Fujo a sete pés das actuais tendências livreiras no que as capas diz respeito, muito rosa e photoshop, não convencem ninguém.
Tive de olhar algumas vezes aqui para as minhas estantes, para responder a esta pergunta, tenho livros tão feios e tão bons…
Assim de repente ocorre-me uma trilogia que li o ano passado “Não Matarás” de Pedro Garcia Rosado

*

o-meu-pipi12) Rir é o melhor remédio (um livro que nos tenha feito rir)

É muito difícil um livro fazer-me rir… quando muito pode fazer-me sorrir.
Ocorre-me um livro que li à uns bons anos, que recorre ao baixo calão, mas não deixa de ter piada. Inspirado num blogue que existiu com o mesmo nome, a escolha é: “O  meu Pipi” de autor anónimo, que toda gente sabia quem era.
É divinal e pornograficamente engraçado.

*

o principezinho13) Tragam-me os Kleenex, se faz favor (um livro que nos tenha feito chorar)

À semelhança da pergunta de cima, assim de repente…. Não sou de choro fácil, mas existe um que se destaca de todos:
É claro que é o “Principezinho” de Exúpery, vá-se lá perceber porquê.
Fico sempre com uma lágrima ao canto do olho, mas poupo nos kleenex porque sou prático, limpo a qualquer coisa.

*

14) Este livro tem um v de volta (um livro que não emprestaríamos a ninguém)

Todos os meus livros têm dois V (um vai e um vem) embora alguns demorem mais do que o necessário. Empresto todos os meus livros.
E o que me irrita mais é emprestar um livro por um ano e quando regressa não foi lido (hum… verdade, verdadinha)

*

 o ano da morte de ricardo reis

15) Espera aí que eu já te atendo (um livro ou autor que estamos constantemente a adiar)

Inquestionável “O ano da Morte da morte de Ricardo Reis” de José Saramago

Anúncios

7 thoughts on “TAG – Palavras Cruzadas

  1. Acho que já vi o Último Acto em Lisboa nalgum lado, mas nunca peguei nele e parece que estou a perder algo de bom :/
    Também gostaria de ter escrito A Sombra do Vento ou Os Pilares da Terra, mas se calhar perdiam qualidade xD
    Gostei dO Monte dos Vendavais, foi diferente do que estava à espera, mas não é dos meus clássicos preferidos.
    Olha que era perigoso ter o Hannibal a cozinhar… Ainda eras servido, mas não no bom sentido xD

  2. Eu li “O Monte dos Vendavais” até ao fim e detestei. Não sei mesmo como é que esta obra é considerada na História da Literatura. Sinceramente achei as personagens horríveis e a história sem ponta por onde pegar….

  3. Viva Nuno,

    Gostei de ler a tua tag, dá para te conhecer um pouco melhor, por norma não tenho muito tempo e paciência para as fazer então quando tem que se colocar mais que uma foto rsrssr.

    Mas esta fixe e a trilogia Millenium será eterna 🙂

    Abraço

  4. Que ideia bem gira! Acho que vou levá-la ao Folhas de Papel ehehe
    A pergunta sobre plágio é particularmente gira, porque há aí tantos livros que gostava de ter escrito. Damn it! 😀
    Boas leituras!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s