Os Filhos do Éden – Ken Follett

os filhos do édenKen Follett é sem qualquer espécie de dúvida um exímio contador de histórias e sabe claramente qual a melhor forma de agarrar o leitor.
Aparentemente um tema “banal” (expressão) e uma história que não antevê um livro do outro mundo ou emoções como “Os Pilares da Terra” ou “Um Mundo sem Fim”. Estamos claramente a falar de géneros diferentes e épocas totalmente diferentes.
No entanto a leitura vai-se tornando compulsiva à medida que a estória vai avançando, muito por mérito do seu criador.
Este livro publicado originalmente em 1998, anteriormente editado por cá com o título de “Os Filhos do Paraíso” (Editorial Notícias e Circulo de Leitores – 2000) parece à partida que não se vai aguentar… mas apenas inicialmente.
O ritmo é rápido e como já referi agarra o leitor, mais pelo suspense e pelas reviravoltas na trama, do que propriamente pelo conteúdo.
O tema mais forte e que nos faz pensar um pouco mais sobre o assunto é aquela espécie de comunidade hippie, que nos trazem à memória as célebres seitas e os seus seguidores, supostamente estão isolados do resto dos comuns e querem viver a vida à sua maneira e sem interferências exteriores. Mas como todas as seitas, por melhor que sejam as intenções, existem sempre atitudes e actos menos lícitos.
Outro tema abordado em “Os Filhos do Éden” é precisamente a ameaça deste género de seitas, quando confrontados e com o seu modo de vida, sem regras e sem qualquer vontade de cumprir compromissos

SINOPSE:
Desde os longínquos anos 60, da Guerra do Vietname e da explosão da cultura hippie, na Califórnia, uma pequena comunidade vive isolada no sopé da Serra Nevada. Aí, os seus membros praticam agricultura de subsistência, para consumo próprio, mas também se especializaram na produção de um excelente vinho que vendem, proporcionando-lhes os meios para a aquisição de outros bens necessários. Mas aqueles anos de paz e felicidade chegam ao fim quando o governo anuncia que vai construir uma barragem perto daquele local, que ficará submerso pelas águas. Desesperadas, as pessoas que construíram ali as suas vidas reagem de uma forma inesperada e quase inverosímil, ameaçando provocar um abalo sísmico de proporções épicas, fazendo-se passar por um grupo eco-terrorista…

Anúncios

5 comments

  1. “O Terceiro Gémeo” será o próximo livro do autor a ler depois do “No Limiar da Eternidade” mas este também me interessou pela tua opinião. Ainda conheço muito pouco dos livros de Ken Follett que não são calhamaços (só “O Homem de Sampetersburgo” e “O Preço do Dinheiro”) 😛

    1. Olá José, não poderei passar sem te recomendar “Os Pilares da terra” e também “Um Mundo sem Fim” que são passados na idade média. São sem dúvida fantásticos.

      1. Sim, já li todos os livros-tijolo que ele escreveu e são todos fantásticos! 😛
        Os Pilares da Terra é, inclusive, um dos meus livros favoritos de sempre! 😀

  2. Ois,

    Eu bem gostava de ler mais livros deste escritor mas são muito caros, talvez vá conseguir ler a trilogia do Século, pois tenho uma colega no emprego que está a ler e a gostar.

    Mas este é um escritor com qualidade sem duvida 😉

    Abraço

  3. Olá 🙂
    Mais uma opinião que gostei muito de ler :). Tenho definitivamente que ler mais livros de Ken Follet, uma vez que ainda só li um :).
    Boas viagens,
    Rosana

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s