Sentido

27/012/2014 – 15:50h – 18:40h

Talvez assim faça sentido…
Isto que já disse e que não quero que se perca… Não quero que se perca.

O que gosto em ti?
A emoção, o voltar a sentir que é possível.
Dás sentido aos meus dias, ás minhas noites… dás sentido ao meu sentido
De cada vez que caio à cama, invento o tal abraço que me dás. O tal abraço que dou.

Talvez um dia  te sinta assim.
Um dia esperarás que a luz brilhe novamente… e quando a quiseres agarrar… vais sentir-te um objecto velho, gasto, uma merda.
Olhas à tua volta e tens noção de que ainda vais viver, mas que nada será como dantes.
Olhas em volta, dás-te conta que não és nada.
De que deixaste o tempo passar e vais perguntar-te… Porquê eu?
Quando existem outros melhores, mais bonitos, mais altos, mais interessantes.
E aí vêm os medos, as angústias, as dúvidas… É assim que me sinto.
Não és tu que me estás a fazer mal… sou eu próprio.

Entendes? é assim que sinto… é assim que me sinto.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s