A rapariga que sonhava com uma lata de gasolina e um fósforo – Stieg Larsson

a rapariga que sonhavaMILLENNIUM 2
A RAPARIGA QUE SONHAVA COM UMA LATA DE GASOLINA E UM FÓSFORO

Após ler “Os homens que odeiam as mulheres” iniciei de imediato a leitura do segundo volume da trilogia escrita por Stieg Larsson. Os acontecimentos do livro anterior foram de tal forma extasiantes, que este segundo parece ter sido escrito quase em banho-Maria, mas rapidamente esta sensação é ultrapassada com os novos desenvolvimentos na vida de Libeth Salander.

Este livro é de tirar o fôlego, tenho a certeza de que foi extremamente bem pensado e posteriormente desenvolvido. Passaram dois anos desde os acontecimentos anteriores. Encontramos uma Lisbeth Salander, completamente desligada  e em busca de um novo sentido para a sua vida, sem no entanto se ter refeito completamente da aventura anterior.

Mikael Blomkvist, renasceu das cinzas após a queda de Hans Wennerstrom, no entanto não esquece a pessoa que mais o ajudou a levantar-se: Lisbeth, desconhecendo por completo o seu paradeiro. Acaba por desistir e espera que a rapariga o volte a procurar.

 Entretanto  Mikael vê-se empurrado para uma investigação de assassinato de dois jornalistas que estavam a colaborar com a Millennium num caso de tráfico de mulheres e ainda de  uma terceira vítima (não irei revelar quem – para aqueles que ainda não tenham lido o livro), aparentemente Lisbeth Salander é a única suspeita deste crime que assume proporções épicas e monstruosas.

Stieg Larsson consegue fazer entrar novamente os seus leitores num verdadeiro labirinto de mistérios e meias verdades. Para quem leu “Os homens que odeiam as mulheres” irá encontrar novamente um estilo muito semelhante. No entanto a leitura deve ser feita cronologicamente, pois são mencionados alguns factos e momentos vividos na aventura anterior.

A determinada altura Lisbeth Salander desaparece simplesmente da história, dando lugar à entrada de novos personagens na trama, o que acaba por adensar ainda mais o mistério acerca do seu envolvimento nas mortes de Dag e Mia.

O livro termina de forma abrupta, deixando o leitor boquiaberto e completamente de rastos, querendo imediatamente partir para o livro seguinte. (e foi mesmo isso que fiz).

Quanto ao (tantas vezes) mal falado título deste livro… ele faz todo o sentido! embora nos tenhamos afastado do título original sueco, ao contrário do primeiro (que foi traduzido à letra). No entanto este além de fazer sentido, vem levantar um pouco mais o denso véu na história de Lisbeth. De facto “A rapariga, que brincava com o fogo” como nos diz o título Sueco (flickan som lekte med elden)Não brincou com ele por prazer. Creio que para quem leu este livro, percebe o que estou a tentar explicar, sem revelar muito da história.

O segundo volume da trilogia Millennium, é um livro difícil de largar e que acaba por tornar-se ainda mais entusiasmante que o seu antecessor, a explicação para o facto dos comportamentos bizarros e a estranha personalidade de Salander, começam a ganhar forma, deixando o leitor ávido por mais.

Lisbeth Salander (tenho a certeza) é daquelas personagens que já ganharam um lugar de destaque na história da literatura moderna. (o tempo o dirá se eu estiver enganado).

Um livro extraordinário, que recomendo sem reservas.

Entretanto e pelo meio, vi a versão Americana de “Os homens que odeiam as mulheres” e…. Não convence! (muito fraca frente à versão Sueca.
Comparativamente ao livro… Desilude muito. Bem sei que os filmes são uma adaptação, no entanto este filme deixa muito a desejar e nem o elenco estrelado por Daniel Craig o consegue salvar. Não gostei! Sinceramente não gostei, esperava muito mais.

SINOPSE:
 Depois de uma longa estada no estrangeiro, Lisbeth Salander regressa à Suécia, cede o pequeno apartamento onde vivia à sua amiga Miriam Wu, e instala-se luxuosamente numa zona nobre da cidade. Pela primeira vez na vida é economicamente independente, mas cedo percebe que o dinheiro não é tudo: não tem amigos nem família e está só. Mikael Blomkvist, que tenta contactar Lisbeth Salander durante meses, sem sucesso, desiste e concentra-se no trabalho. À Millennium chegou material para uma notícia explosiva: o jornalista Dag Svensson e a sua companheira Mia Johansson entregam na editora dois documentos  que provam o envolvimento de personalidades importantes numa rede de tráfico de mulheres para exploração sexual. Quando Dag e Mia são brutalmente assassinados, todos os indícios recolhidos no local do crime apontam um suspeito: Lisbeth Salander. O seu passado sombrio e pouco convencional não abona a favor da sua imagem e a polícia move-lhe uma implacável perseguição. Lisbeth Salander, que está disposta a romper de vez com o passado e a punir aqueles que a prjudicaram, tem agora de provar a sua inocência e só uma pessoas parece disposta a ajudá-la: Mikael Blomkvist que, apesar de todas as evidências, se recusa a acreditar na sua culpabilidade.”

LITERATURA VS CINEMA:
Flickan som lekte med elden – (2009)

Anúncios

3 thoughts on “A rapariga que sonhava com uma lata de gasolina e um fósforo – Stieg Larsson

  1. COMENTÁRIOS AO ARTIGO DE 25/10/2012

    Pericles Pinto
    26/10/2012 às 10:33 am
    Estes três livros são simplesmente espectaculares! Li os três de rajada, sem conseguir parar…
    Quanto aos filmes: o “made in sweden”, não vi. O “made in USA”, até que não achei mau. Respeita “razoavelmente” a obra.

    nunochaves
    27/10/2012 às 11:19 am
    Pericles, O desfecho da história não foi nada fiel… 🙂
    Mas se queres que te diga, não achei nada de extraordinário neste filme. Não sei muito bem do que estava á espera mas…. talvez as expectativas que tinham seriam demasiadamente altas.

    Jojo
    27/10/2012 às 1:36 am
    Acabei esta semana Os Homens que Odeiam as Mulheres! E só tenho uma palavra para tanto mistério: Uau! É chocante mas é extremamente viciante! Ainda não vi nenhum dos filmes.

    Beijinhos

    nunochaves
    27/10/2012 às 11:07 am
    Vais adorar o 2º e o último Jojo. mas como referi na minha opinião, vás achar um pouco mais lento este 2º livro, mas rapidamente vais ultrapassar isso. Nem imaginas o que aí vem…. 🙂
    Uma verdadeira conspiração! (e não é teoria)

    Teté
    29/10/2012 às 8:56 pm
    Esta trilogia lê-se quase compulsivamente! É acabar um e passar ao seguinte… Mas já tinha dito que adorei, não já? 🙂

    nunochaves
    29/10/2012 às 8:57 pm
    É verdade Teté, é fantástica, já terminei o 3º volume e fiquei com muita pena que tenha terminado.

    1. Olá Nelson, já vi as versões Suecas e subscrevo totalmente.
      A Versão Americana deixou mesmo muito a desejar e não se tratou de se terem afastado da história, mas por não terem incluído partes de extrema importância para se entender Lisbeth Salander. Algo que só os livros poderão fazer, mas que na versão Europeia andou lá perto.
      É uma saga que vale mesmo a pena ler!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s