Fotografia

Acasos

Não fazes favor nenhum em gostar de alguém
Nem eu, nem eu, nem eu
Quem inventou o amor não fui eu

Não fui eu, não fui eu, não fui eu, nem ninguém

O amor acontece na vida
Estavas desprevenida e, por acaso eu também
E como o acaso é importante, querida
De nossas vidas a vida fez um acaso também

Não fazes favor nenhum em gostar de alguém
Nem eu, nem eu, nem eu
Quem inventou o amor não fui eu, não fui eu
Não fui eu, não fui eu, nem ninguém

“ACASOS”
Fotografia: Nuno Chaves
Released on: 17 May 2018
Moinhos de Alburrica | Barreiro

© 2018 -Página a Página e Nuno Chaves
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

“NEM EU”
Música e Letra: Dorival Caymmi
Voz: Salvador Sobral
Piano: Júlio Resende

© 2016 – Edições Valentim de Carvalho S.A.

 

 

cropped-cropped-logo-201713.jpg

 

Anúncios

Aparências – (Alguém para Ficar)

Há dias em que viver…. é apenas uma aparência.

A desilusão faz parte do processo de aprendizagem de todos nós, (é certo) mas cada uma delas parece ser sempre a primeira.
É o tempo intermédio que provoca a dor e nos corroí.
Enquanto o tempo não passa como se tivesse congelado, vamos vivendo de aparências.

23 de Abril 2018

30420165_1845147002186779_4156334416657674360_o

*

SOMEONE TO STAY

You were alone left out in the cold
Clinging to the ruin of your broken home
Too lost and hurting to carry your load
We all need someone to hold
You’ve been fighting the memory all on your own
Nothing washes, nothing grows
I know how it feels being by yourself in the rain
We all need someone to stay
We all need someone to stay
Hear you falling and lonely, cry out
Will you fix me up? Will you show me hope?
The end of the day, I’m helpless
Can you keep me close? Can you love me most?
You’ve drunk it down and now you’ve spat it out
Nothing tastes like the things you had
So tear it off, why don’t you let them go?
We all need someone to stay
We all need someone to stay
Hear you falling and lonely, cry out
“Will you fix me up? Will you show me hope?
The end of the day, I’m helpless
Can you keep me close? Can you love me most?
Can you keep me close? Can you love me most?
Can you keep me close? Can you love me most?”
You were alone, left out in the cold
Clinging to the ruin of your broken heart
You were falling and lonely, cry out:
Will you fix me up? Will you show me hope?
The end of the day, I’m helpless
Can you keep me close? Can you love me?
Hear you falling and lonely, cry out
“Will you fix me up? Will you show me hope?
The end of the day, I’m helpless
Can you keep me close? Can you love me most?

“APARÊNCIAS”
© – Nuno Chaves | Fotografia
Released on: 1 September 2017
Topo do Arco da Rua Augusta | Lisboa

© 2018 -Página a Página e Nuno Chaves
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

 

Distância VS Saudade

“Quem pensa que a Distância faz esquecer…
Esquece que a Saudade faz lembrar”

Quem pensa que a saudade é sinónimo de certezas, pensa mal… Esquece que o que hoje é saudade e dor, poderá ser um amanhã de distância e Esquecimento.
Mudam-se os tempos, mudam-se as pessoas, mudam-se os objectivos, mudam-se as circunstâncias, mudam-se as vontades, muda-se a vontade, (aquela vontade)
mudam as pessoas, mudam-se as pessoas.
Mudamos… apenas mudamos. Mudamos tudo
Tudo… a distância a saudade e a dor acabarão por se diluir numa lágrima que se assemelhará a uma qualquer gota de chuva.
Cairá e acabará por se perder.

16 de Março de 2018

cropped-cropped-cropped-logo-20171.jpg

“DISTÂNCIA VS SAUDADE”
© – Nuno Chaves | Fotografia
Released on: 1 September 2017
Topo do Arco da Rua Augusta | Lisboa

© 2018 -Página a Página e Nuno Chaves
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Somewhere over the rainbow

 

000 - Cópia

Somewhere over the rainbow

Way up high

And the dreams that you dreamed of

Once in a lullaby ii ii ii

Somewhere over the rainbow

Blue birds fly

And the dreams that you dreamed of

Dreams really do come true ooh ooh

Someday I’ll wish upon a star

Wake up where the clouds are far behind me ee ee eeh

Where trouble melts like lemon drops

High above the chimney tops thats where you’ll find me

Somewhere over the rainbow blue birds fly

And the dream that you dare to, why, oh why can’t I?

Someday I’ll wish upon a star

Wake up where the clouds are far behind me

Where trouble melts like lemon drops

High above the chimney top that’s where you’ll find me

Oh, Somewhere over the rainbow way up high

And the dream that you dare to, why, oh why can’t I?

 

“SOMEWHERE OVER THE RAINBOW”
© – Nuno Chaves | Fotografia
Released on: December 2017
Terreiro do Paço | Lisbon

* * *

Over the Rainbow” (1938)
Musica de Harold Arlen
Letra de E.Y. Harburg

Eu Fui Noutra Vida…

01.jpg

*

Sem ti não me vou daqui embora, entre o ódio e o amor há sempre uma história que te faz regressar, onde foste feliz.
Eu fui noutra vida um exímio alfaiate, rasguei e cosi corações de pouca sorte; Joguei e perdi: O meu lugar no céu

Eu fui noutra vida, um pedaço de ti

Contigo aprendi, os vários alfabetos, escrevemos no espaço: gosto de ter por perto.
Hoje descobri que não vou para o céu nem para o inferno, enquanto não chega o inverno para nos molhar

Eu fui noutra vida, um pedaço de ti
E já me esqueci

logo

“EU FUI NOUTRA VIDA”  
© – Nuno Chaves | Fotografia
Released on: 2017/10/05
Alburrica | Barreiro
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Texto: “ALFAIATE”
By: Pedro Tatanka – © 2017

Letra e música: Pedro Tatanka
Arranjos de cordas: João Salcedo
Voz e guitarra – Pedro Tatanka
Piano – Marco Pombinho
Hammond – Diogo Santos
Baixo – Rui Pedro Pity
Bateria – João Freitas
Percussão – Ricardo Coelho Cordas –
Quarteto de Cordas de Matosinhos