#Playlist – 01/2017 | Põe de lado o GPS


Ninguém chega se não for, E não indo ninguém sabe
Se aquilo que nos cabe. Contas feitas é o amor

Põe de lado o GPS. Vamos ver o que acontece
Indo nesta direção
Porque eu tenho cá para mim, que nós vamos dar por fim
Onde mora o coração

15747569_1362410093793808_8379701948454825635_n-1

Absolutely Flawless

 

Escolhi para ilustrar o primeiro post de 2017 uma imagem captada pelo amigo “AA”  numa ida (sempre mágica) à Vila e Serra de Sintra em Novembro passado.

A Imagem retrata um momento de talento puro na arte de  criar  bolas de sabão gigantes. Básico e simples não é?
Com o Avançar dos anos olhamos cada vez menos para o ostentativo e passamos a enxergar mais a beleza dos pequenos quês que começam a ser cada vez maiores aos nossos olhos. (vale mais tarde do que nunca)

Com os anos vamos dando cada vez menos importância à superficialidade da coisa e das coisas com que nos deparamos quase diariamente rejeitando os velhos clichés e as frases feitas. Há quem diga que é falta de paciência, outros chamam-lhe maturidade.

Paz, saúde, amor, dinheiro, trabalho, etc, etc, etc, são os eternos desejos que queremos para nós e que transmitimos aos que estimamos. Com o passar dos anos, vamos-nos apercebendo de que alguns sonhos e alguns desejos nunca se irão realizar. Não é derrotismo… são certezas.
Afinal o que distingue um último dia de calendário dos outros dias do ano? (deixo a resposta ao vosso critério)

O meus desejos? Que possa continuar a desejar-vos um bom ano (por muitos anos). Que vivam cada um como se fosse o primeiro! (porque cada dia e cada ano são isso mesmo, mais tempo e oportunidade de corrigir ou de fazer diferente. de reparar pequenos gestos e de reparar (mais) em pequenos gestos.
Que cada dia possa ser à semelhança da Bola de sabão da imagem, uma bolha de ar que rebentará em novos desejos e sonhos e aprendizagem (sempre)

O meu desejo é o mesmo do ano passado, e do outro e do outro e outro….
2017… (é apenas mais um(a) bolha)
A aventura continua… que seja perfeita então.

Bom dia a todos os que prosseguem…

3 de Janeiro de 2017

Logo GIF

Série: Sebastian Bergman

Uma das novidades literárias que o início do próximo ano reserva aos leitores Portugueses é o terceiro volume da série “Sebastian Bergman” é já no dia 4 de Janeiro que chega ás livrarias Portuguesas “O Homem Ausente”
Ainda durante o mês de Janeiro conto começar a ler “O Discípulo” livro que constituí o segundo volume desta série que conta já com 5 romances publicados originalmente.
Após a leitura de “Segredos Obscuros” que me convenceu a acompanhar a série, “O Homem Ausente” entra directamente nas preferências da minha wishlist.

serie-sebastian-bergman

Série: Sebastian Bergman

 

SegredosObscurosSegredos Obscuros

Sebastian Bergman é um homem à deriva.
Psicólogo de formação, trabalhava como profiler para a polícia e era um dos grandes especialistas do país em serial killers. Perdeu tudo quando o tsunami no continente indiano lhe levou a mulher e a filha.
Tudo muda com uma chamada para a polícia.
Um rapaz de dezasseis anos, Roger Eriksson, desapareceu na cidade de Västerås. Organiza-se uma busca e um grupo de jovens escuteiros faz uma descoberta macabra no meio de um pântano: Roger está morto e falta-lhe o coração.
É o momento de Sebastian se confrontar com um mundo que conhece demasiado bem.
O Departamento de Investigação Criminal pede ajuda a Sebastian. Os modos bruscos e revoltados de Sebastian não impedem a investigação de avançar. E as descobertas sobre a escola que Roger frequentava são aterradoras.

O DiscípuloO Discípulo

Numa Estocolmo em chamas, assolada por uma onda de calor, várias mulheres são encontradas brutalmente assassinadas.

Os assassinatos têm a marca de Edward Hinde, o assassino em série preso por Bergman há quinze anos, e que continua detido.
Sendo um incontestável profiler e perito em Hinde, Sebastian é reintegrado na equipa, e não demora muito a perceber que tem mais ligações com o caso do que pensava. Todas as vítimas estão directamente ligadas a eles. E a sua filha pode estar em perigo.

o-homem-ausenteO Homem Ausente

Na ladeira das montanhas de Jämtland, na Suécia, seis corpos são encontrados. Mais precisamente, seis esqueletos. Dois deles de crianças. Os corpos foram enterrados há muito tempo. Para Sebastian Bergman, que viaja para o local do crime com o resto da equipa do Departamento de Investigação Criminal, estes factos só tornam ainda mais complexa a investigação sobre quem são, quem os matou e porquê.
No início, Sebastian vê o caso como uma oportunidade de escapar da ex-namorada e passar algum tempo com a filha, Vanja. Uma oportunidade para tentar construir uma relação com ela antes que seja tarde demais.
Mas rapidamente descobre que está mais envolvido no caso do que gostaria de estar.

michael-george-53fae0ad73cd2

George Michael – 1963-2016

So you scream from behind your door
Say “what’s mine is mine and not yours”
I may have too much but I’ll take my chances
Because god’s stopped keeping score
And you cling to the things they sold you
Did you cover your eyes when they told you
That he can’t come back
Because he has no children to come back for

It’s hard to love, there’s so much to hate

GEORGE MICHAEL
“Praying For Time”

Feliz Natal 2016

A todos os que me acompanham na viagem, a todos os que nos últimos 7 anos me têm ajudado a desfolhar e descobrir novas páginas, façam de cada dia um dia de Natal. Os meus Votos de Boas Festas, estejam onde estiverem.

Nuno

15094243_1337249946309823_4663648915026272592_n

Momentos Marginais (7) –Aaron Neville

Is it a physical attraction?
Is it sexual satisfaction?
Is it long life together?
What is love?

14469678_1266160683418750_4230538332977999591_n

Principio, meio e… principio

It’s time to let it all go, go out and start again

 

#Novos Vizinhos nas Estantes – 13/2016

O que define um livro grande de um grande livro?
O sonho, a inquietação, a viagem o não esquecimento.

o-labirinto-dos-espiritos

15 anos depois de “A Sombra do Vento” as luzes apagam-se, a música cala-se, a plateia esvazia-se.
Uma história não tem princípio nem fim, só portas de entrada. A única coisa que importa é a miragem que ficou gravada no teatro da imaginação que todos os leitores têm na mente

Sinopse:
Na Barcelona de fins dos anos de 1950, Daniel Sempere já não é aquele menino que descobriu um livro que havia de lhe mudar a vida entre os corredores do Cemitério dos Livros Esquecidos. O mistério da morte da mãe, Isabella, abriu-lhe um abismo na alma, do qual a mulher Bea e o fiel amigo Fermín tentam salvá-lo.

Quando Daniel acredita que está a um passo de resolver o enigma, uma conjura muito mais profunda e obscura do que jamais poderia imaginar planta a sua rede das entranhas do Regime. É quando aparece Alicia Gris, uma alma nascida das sombras da guerra, para os conduzir ao coração das trevas e revelar a história secreta da família… embora a um preço terrível.

O Labirinto dos Espíritos é uma história eletrizante de paixões, intrigas e aventuras. Através das suas páginas chegaremos ao grande final da saga iniciada com A Sombra do Vento, que alcança aqui toda a sua intensidade, desenhando uma grande homenagem ao mundo dos livros, à arte de narrar histórias e ao vínculo mágico entre a literatura e a vida.

O LABIRINTO DOS ESPÍRITOS | Carlos Ruíz Zafón – 2016
Planeta © Novembro 2016

#Novos Vizinhos nas Estantes – 12/2016

Um novo habitante muito especial chegou ás minhas estantes, foi com muita satisfação pude juntar-me ao Lançamento de “Avós e Netos no Mediterrâneo” na tarde de 26 de Outubro de 2016 na sede da Associação dos Pupilos do Exército, e desta forma fazer parte da viagem levada a cabo pelo meu meu amigo e mestre Tenente Coronel José Manuel Pedroso da Silva  Homem de múltiplos Talentos por quem tenho muita amizade e estima e que deixará para sempre a sua marca na Heráldica do Exército Português
Uma viagem escrita a 4 mãos e 4 corações.

14705653_1288406347860850_4772883899456131908_n

Uma Avó Fixe
um Avô Sábio
Dois netos contentes, numa viagem sem astrolábio
Diários de Bordo, feitos a pedido
Ilustrações, figuras, desenhos
Cidades com História
Heráldica, Malacologia
Aviões. Filatelia, futebol e amizade
E sempre, Sempre felicidade

Momentos Marginais (6) –Joss Stone

You better stop the things you do
I ain’t lyin’
You know I can’t stand it

I put a spell on you
‘Cause you’re mine
You better stop the things you do
I ain’t lyin’
No I ain’t lyin’
You know I can’t stand it
You’re runnin’ around
You know better daddy
I can’t stand it cause you put me down
I put a spell on you
Because you’re mine
You know I can’t stand it
You’re runnin’ around
You know better
I can’t stand it cause you put me down
I put a spell on you
Because you’re mine
You know I love you
I love you
I love you
I love you anyhow
And I don’t care if you don’t want me
I’m yours right now
I put a spell on you
Because you’re mine
Because you’re mine
Because you’re mine

#Novos Vizinhos nas Estantes – 11/2016

Chegou ás estantes ” O Último Adeus” título que marca a minha estreia com  Kate Morton. É mais um dos livros que sai da whish list 2016. E que me convenceu inicialmente pela sinopse e posteriormente pelas opiniões dos Livrólicos que habitualmente sigo e também pelo rating com que está classificado no Goodreads.
Um livro recomendado para os que gostam de ler e para os que não costumam ler!
É ler para crer!

o último adeus

Todas as famílias têm segredos e basta um só dia para tudo mudar.

Um Menino desaparecido
Junho de 1933, em Loeanneth, a mansão de campo da família Edevane. Tudo está limpo e a brilhar, a postos para a tão esperada festa do Solstício de Verão.
Alice Edevane, jovem de dezasseis anos que promete ser uma grande escritora, está especialmente empolgada. Não só encontrou o enredo perfeito para o romance  que está a escrever , como também se apaixonou perdidamente por quem não devia. mas quando a meia-noite chega e os fogos de artifício iluminam o céu, a família Edevane terá sofrido uma perda tão grande que a fará abandonar Loeanneth para sempre…

Uma casa abandonada
Setenta anos depois Sadie Sparrow, investigadora da Scotland Yard, na casa do avô, na Cornualha a cumprir um período de descanso forçado.
Um dia por mero acaso, chega a uma velha casa abandonada rodeada de jadins silvestres e frondosos e descobre a história de um menino desaparecido sem deixar rasto…

Um Mistério por resolver
Entretanto no sótão de uma elegante casa, a formidável Alice Edevane, já velha, leva uma vida tão cuidadosamente planeada como os romances policiais que escreve. Até que uma jovem detective começa a fazer perguntas sobre o seu passado familiar, na tentativa de esclarecer a intrincada teia de segredos que Alice tentou fugir a vida toda.

O ÚLTIMO ADEUS | Kate Morton – 2015
Suma de Letras © Novembro 2015

 

Momentos Marginais (5) –Noisettes

We just got swallowed up
But you know that I didn’t forget you
We just got swallowed up
By the whole damned world

What you’re drinkin’
Rum or whisky
Now don’t you have a
Double with me
I’m sorry I’m a little late
I got your message by the way
I’m calling in sick today
So let’s go out for old time sake
I’ll never forget you
They said we’d never make it
My sweet joy, always remember me
We were mischievious
And you are always wearing black
I was so serious
You know my boyfriend’s mother
really had a heart atack
I’m sorry I’m a little late
You know the stripes on a tiger
are hard to change
And notice, world feels like an empty stage
I wouldn’t change a thing
So I’m glad your back again
I’ll never forget you
They say we’d never make it
My sweet joy, always remember me
I’ll never forget you
At times we couldn’t take it, you’re
My joy, always remember me
We just got swallowed up
You know I didn’t forget you
We just got swallowed up
We just got swallowed up
But you know that I didn’t forget you
We just got swallowed up
By the whole damned world
What you’re thinking
Did you miss me
I’ve borrowed your silver boots
Now if you just let me
give them back to you
I’ll never forget you
They said we’d never make it
My sweet joy, always remember me
I’ll never forget you
Although at times we couldn’t change it, you’re
My joy, always remember me
Don’t you know that you’re my joy
lways remember me
Don’t you know that you’re my joy
Always remember me